Conheça as principais atrações de Braga

O sistema ferroviário de Portugal permite que o turista conheça cidades menores em bate-volta a partir de grandes cidades portuguesas. Uma dessas cidades é Braga, a apenas uma hora de trem do Porto. Como minha amiga Cris foi morar lá, optei por dormir uma noite na cidade para matar as saudades e conhecer melhor o que Braga tem a oferecer.

Antigamente chamada de Bracara Augusta, Braga foi fundada pelo Imperador Augusto e no século 12 foi sede do arcebispado português no século 12, se tornando a capital religiosa do país. A Diocese de Braga é a mais antiga de Portugal e, na Idade Média, chegou a rivalizar com Santiago de Compostela em poder e importância. Com o passar dos séculos, essa influência foi ficando mais fraca, mas ainda hoje é considerada a capital eclesiástica de Portugal, onde se realizam diversas festas religiosas, incluindo as procissões da Semana Santa e a festa de São João.

Uma informação importante para quem quer visitar Braga é que o aeroporto mais próximo é o do Porto, então a melhor forma de chegar é realmente de trem (comboio) como fizemos ou de ônibus (autocarros). A partir da estação de trem é fácil chegar ao centro histórico da cidade em um percurso de aproximadamente 15 minutos a pé. Quem estiver em Aveiro, por exemplo, também consegue fazer um bate-volta até Braga facilmente.

É no centro histórico de Braga que se encontra o Jardim de Santa Bárbara, um dos mais belos jardins de Portugal. Nele está presente o arranjo geométrico inspirado nos jardins dos grandes palácios europeus, adornado com flores e plantas da época, permitindo que ele esteja sempre bem cuidado e colorido. Ao centro, uma fonte com a estátua de Santa Bárbara, que confere nome ao jardim. Muito comum ver os moradores da cidade sentados lendo um livro ou aproveitando o local. Ao fundo do jardim, a estrutura em pedra que mais lembra um castelo faz parte do paço Medieval de Braga. Erguida no final da Idade Média, atualmente funciona como Arquivo Distrital de Braga e uma biblioteca.

jardim de santa barbara

Muitos o confundem com o Castelo de Braga, mas deste resta apenas a Torre de Menagem. Em granito, com cerca de trinta metros, assinala uma das cinco torres que constituíam os pontos de vigia nas muralhas medievais. A cerca medieval era composta pelas cinco torres e oito portas, das quais ainda existem a Torre da Porta Nova, a Porta e Torre de Santiago e a Torre de São Sebastião. Atualmente a torre de menagem é utilizada como galeria de arte.

A torre se encontra no limite com a principal praça da cidade, a Praça da República. É nela que acontecem os principais eventos culturais da cidade e onde os moradores de Braga se reúnem para atividades de lazer. Caminhando a partir dali, chega-se à Sé de Braga, construída no século 11, sendo a mais antiga do país. A catedral abriga na Capela dos Reis os túmulos dos pais do primeiro rei de Portugal, D. Henrique e D. Teresa, que ordenaram sua construção. Também designada como Catedral de Santa Maria de Braga, diversos estilos arquitetônicos estão presentes como o estilo românico na Porta do Sol, o pórtico principal e a absidíola do claustro de Santo Amaro; o estilo gótico na construção da galilé de entrada no templo; e o estilo barroco na decoração interior dos altares. A catedral também mantém o Tesouro Museu da Sé, onde se encontra a cruz da primeira missa celebrada no Brasil, levada por Pedro Álvares Cabral. Infelizmente não conseguimos entrar na catedral pois ela já estava fechada.

praca da republica braga

Um pouco mais afastado do centro histórico está o Largo Carlos Amarante onde está o hotel Vila Galé Braga, que atualmente ocupa o local que já foi o Hospital de São Marcos, datado de 1508. Em frente ao hotel está o letreiro com o nome da cidade (foto de capa) perfeito para quem gosta dessas fotos interativas. Próximo ao local está o Palácio do Raio – ou Casa do Mexicano – com fachada em azulejos azuis, e o prédio da Câmara Municipal, ambos em estilo barroco projetados pelo arqutieto André Soares da Silva no século 18.

palacio do raio

Com tempo e um pouco de disposição, vale a pena incluir no roteiro dois grandes santuários. O primeiro é o Santuário de Nossa Senhora do Sameiro localizado no alto do monte de mesmo nome, de onde se tem uma vista privilegiada sobre a cidade de Braga. É um dos locais de culto mariano mais visitados em Portugal, especialmente durante as peregrinações do primeiro domingo de junho e do último terceiro de agosto.

Fundado por Martinho Silva, presbítero da arquidiocese de Braga, foi construído ao longo de várias décadas e atualmente o complexo religioso integra o recinto para a missa campal, a Casa das Estampas, a Casa do Reitor, a Capela do Santíssimo Sacramento, a igreja principal, a cripta e a ampla escadaria monumental, no topo da qual se encontram os monumentos do Sagrado Coração de Jesus e da Nossa Senhora da Conceição. Quando visitamos o santuário, estava tendo um casamento, por isso infelizmente não conseguimos boas fotos do interior.

santuario nossa senhora sameiro

O segundo – e mais famoso – santuário de Braga é o Santuário de Bom Jesus do Monte. Para chegar ao santuário pode ir a pé, de carro ou usar o funicular, já que o mesmo está em uma encosta coberta de árvores. O projeto de Carlos Amarante teve como conceito o estilo barroco para a gigantesca Escadaria de Bom Jesus, que dá acesso ao santuário em estilo neoclássico italiano, concluídos em 1811. A minha dica é começar pelo alto, no parque dos jardins, e ir descendo a escadaria.

A escadaria que leva ao topo é formada por 17 patamares decorados com fontes simbólicas e estátuas alegóricas. Nela destacam-se as capelas simbolizando a Via Sacra, com as quatorze estações de Paixão, culminando na crucificação de Cristo, que está no interior do santuário. Na parte intermediária está o Escadório Cinco Sentidos, representando os sentidos com fontes, estátuas bíblicas e mitológicas, onde se destaca a Fonte das Cinco Chagas de Cristo, de onde a água jorra de cinco pontos sobre o brasão português. O trecho final da escadaria representa a fé, a esperança e a caridade – simbolizadas na Escadaria das Três Virtudes.

bom jesus do monte

Conhecendo esses locais, você certamente terá visto as principais atrações de Braga. Apesar de parecer pequena, Braga é dita como a terceira maior cidade de Portugal, figurando em alguns registros como a sétima mais populosa do país. Eu acho que vale a pena dormir uma noite na cidade, em especial se você for conhecer a cidade em algum período festivo. Conheci todas essas atrações na companhia dos amigos Cris e Igor do Cris pelo mundo, que estão morando na cidade e em todo o tempos estivemos conectados com o chip Mysimtravel.