Catedral de Sevilha: onde repousa Cristóvão Colombo

Depois do Real Alcazar, a Catedral de Sevilha é um dos pontos turísticos mais visitados na cidade espanhola. Em fevereiro de 2018, a catedral passava por obras em sua fachada, porém a visitação interna estava funcionando normalmente e vale muito a pena conhecer o esplendoroso interior da catedral.

A catedral gótica de Sevilha está localizada no antigo bairro judeu de Santa Cruz e chama atenção dos turistas por dois motivos: seu campanário mourisco (La Giralda) coroado por um cata-vento de bronze representando a fé e por abrigar a tumba do descobridor das Américas, Cristóvão Colombo.

A Catedral de Sevilha foi construída no local de uma grande mesquita construída entre os anos de 1184 e 1198. Em 1248, após a reconquista do Rei Santo Fernando III, a mesquita foi consagrada como catedral, conservando partes da mesquita no pátio das laranjeiras (Patio de los Naranjos) e nos terços inferiores da torre Giralda. As obras da catedral cristã começaram em 1401, levando quase um século para serem finalizadas. Após a finalização, obras renascentistas passaram a adornar a Capela Real, Sacristia Maior, Sala Capitular e seus anexos.

catedral de sevilha exterior

Atualmente, a planta total da catedral ocupa 23.500 m². Considerando exclusivamente a parte gótica, são 126 metros de comprimento por 83 de largura com altura máxima de 37 metros, enquanto a torre Giralda (campanário) apresenta 96 metros de altura. Essas magnitudes, tornam a Catedral de Sevilha a catedral gótica mais extensa do mundo. Em 1987 foi declarada Patrimônio da Humanidade pela UNESCO e em 2010, Bem de Valor Universal Excepcional.

A entrada principal está voltada para a Plaza del Triunfo e apesar de grande, a fila para entrar anda bem rápido. Na primeira sala, antes de chegar ao interior da catedral, estão exibidas pinturas que pertencem à Escola Barroca Sevilhana que contribuiu muito para o Século de Ouro espanhol. Entre elas estão obras de Pacheco, Velázquez, Alonso Cano, entre outros. Já no seu interior, a catedral conserva algumas das mais importantes peças de Murillo. A maioria  dessas pinturas se encontra em locais originalmente pensados para sua função espiritual e devocional, como a imagem de São Fernando e a que adorna a Capela de Santo Antônio.

obras de arte catedral de sevilha

Chama atenção o coro do século 15 projetado por Nufro Sánchez com 114 cadeiras, sendo 64 altas e 50 baixas. Os acesso laterais são dois átrios barracos do século 18 que servem de base para o órgão. Em frente está o Altar Maior (ou Retablo Mayor) em 44 painéis dourados em quatro relevos, ocupando 27,8 metros de altura por 18,2 de largura. A santa padroeira da catedral – Santa Maria de la Sede – está no altar sobre uma cachoeira de ouro. Projetado por Pierre Dancart, o altar levou 80 anos para ser concluído, entre os séculos 15 e 16. Em menores dimensões, mas igualmente belo, está o Altar de Prata, iniciado em 1688 por Juan Laureano de Pina para ser usado durante o momento eucarístico, porém atualmente é usado para as principais cerimônias anuais.

Certamente, o local onde terá mais pessoas será a grandiosa tumba onde estão enterrados os restos mortais de Cristóvão Colombo que foram trazidos de Cuba. Projetado pelo artista Arturo Mélida em 1890, a tumba tem representados quatro portadores que representam os reinos de Castela, Leão, Aragão e Navarra.

catedral de sevilha interior

Na parte de fora da catedral, em direção oposta à entrada principal, está o Patio de los Naranjos, de onde temos uma linda visão do exterior do prédio. O pátio das laranjeiras – ou antigo sahn da mesquita – apresenta em seu centro há uma fonte moderna que toma o lugar do antigo sabia, onde, na época moura, os fiéis lavavam mãos e pés antes da reza. O arranjo das laranjeiras forma canais que desenham figuras geométricas e que ainda são utilizados para o fluxo de água. Do pátio, é possível deixar o local atravessando a Porta do Perdão (Puerta del Perdón).

patio de los naranjos sevilha

As visitas ao interior da Catedral acontecem às segundas de 11h às 15h30; de terça a sábado das 11h às 17h; e aos domingos das 14h30 às 18h. A entrada custa € 9 (em fevereiro de 2018), contudo a entrada é gratuita às segundas de 16h30 às 18h. Algumas empresas de turismo vendem pacotes guiados que conciliam o Real Alcazar de Sevilha e a Catedral.

Endereço: Av. de la Constitución, s/n – Tel.: +34 954 21 16 79

Em nossa passagem por Sevilha utilizamos a conexão de internet do Mysimtravel, cujo chip você pode comprar clicando no link para receber em casa e já sair do Brasil com ele em mãos. Fomos recebidos pelo hotel Gran Meliá Colón, membro da Leading Hotels of the World.