Como se locomover em Tel Aviv e Jerusalém

Uma das maiores preocupações de qualquer viajante é como se locomover nas cidades para conhecer os principais pontos turísticos e aproveitar tudo que o destino tem a oferecer. Em Israel as cidades são bastante diferentes nesse sentido, tanto que muita gente acaba optando pelas empresas de turismo que também oferecem essa parte. Mas, se você for um viajante que prefere fazer tudo a seu tempo, como eu costumo fazer, existem algumas dicas que serão bem úteis.

Para facilitar o entendimento de como se locomover em Israel, primeiro é preciso destacar o interior das duas maiores cidades. É muito comum entre os viajantes ficar hospedados em Jerusalém e/ou Tel Aviv e conhecer o interior do país nas chamadas day trips. Em alguns casos, principalmente nos destinos mais próximos, isso funciona. Mas em outros, além de cansativo, o tempo que permanência na cidade acaba sendo curto. Por isso, para curtir mesmo o interior de Israel, principalmente o norte do país onde fica a região da Galileia, o ideal é alugar um carro. Já quando se chega nas duas maiores cidades é preciso entender a particularidade de cada uma.

Jerusalém é uma cidade relativamente fácil de ser visitada, ainda mais e você escolher um hotel bem localizado (próximo a cidade murada). Nós ficamos no Waldorf Astoria Jerusalém e fizemos quase todos os programas na cidade a pé, já que mesmo alguns que ficam fora da cidade murada são próximos. Mas quando você for visitar o alto do Monte das Oliveiras ou os dois principais museus da cidade será preciso pegar um carro até lá. A melhor opção é mesmo táxi, já que manter um carro alugado na cidade apenas para isso sairá mais caro.

Porém, um dos problemas que tive durante a viagem foi com a questão dos taxistas. Andar de táxi em Israel não é das melhores experiências. Além da dificuldade na comunicação, a maioria quer fazer preço fechado e não usar o taxímetro. Pior, se você solicita que ele seja usado, colocam valores altos nas taxas que são cobradas à parte para justificar que acabou saindo mais caro pra você. A sensação é de estar sendo sempre lesado, a ponto de ter colocado como maior crítica negativa sobre a viagem em uma pesquisa que respondi para o Ministério do Turismo de Israel.

Uma solução que eu indico é baixar o aplicativo Gett, que antigamente era conhecido como GetTaxi. Ele funciona como esses aplicativos de táxi que existem no Brasil e garante primeiro a segurança de ter como identificar o taxista, mas principalmente a segurança de que sempre usarão o taxímetro e sem cobrar nenhuma taxa acima da devida. Foi a maneira mais fácil que encontrei para me deslocar em Jerusalém e Tel Aviv quando precisava ir a um lugar mais distante. Importante estar sempre conectado para poder usar o aplicativo, o que conseguimos com a excelente conexão do Mysimtravel.

Ainda em Jerusalém, para conhecer as atrações que ficam do lado palestino, o mais recomendado é mesmo contratar o serviço de uma agência especializada. Essa parte eu considero a mais complexa para ser feita sem acompanhamento, e por isso utilizei os serviços da Tourist Israel.

Já em Tel Aviv, é bastante comum ver as pessoas circulando a pé ou de bicicleta. A cidade tem uma boa malha de ciclovia e se você curte pedalar essa é uma ótima opção de como se locomover em Tel Aviv. O Brown TLV, hotel onde ficamos, disponibiliza a seus hóspedes o empréstimo de bicicleta. Como fica bem localizado é uma ótima opção, ou se preferir poderá ir a várias atrações da cidade a pé mesmo. Novamente, quando a atração é um pouco mais distante, recorri ao aplicativo de taxi Gett e tive ótimo atendimento. Foi certamente a maneira mais segura e tranquila de usar táxi em Israel.