Széchenyi: banho de águas termais em Budapeste

Budapeste é muito famosa pelas termas, casas de banho com águas termais, por isso recebe o apelido de Cidade dos Spas Termais. Localizada em uma das maiores estâncias de águas quentes do mundo, a Hungria atrai visitantes interessados nas propriedades medicinais e nas belas arquiteturas conservadas até hoje. Quando estivemos em Budapeste, visitamos o Széchenyi Medical Thermal Bath, que mesmo no verão estava lotada.

A procura pelos spas termais é muito grande no inverno, quando as baixas temperaturas de Budapeste atraem turistas e moradores da cidade para se banhar em águas de temperaturas mais quentes. Quando visitei a cidade em agosto (2013), em pleno verão, quase não incluí a ida a uma das termas no roteiro por achar que não teria movimento. Como a cidade fechava nosso roteiro pelo Leste Europeu acabei incluindo a ida a Széchenyi Baths no último dia, para relaxar após toda a viagem e a experiência desagradável com um taxista ladrão logo que chegamos na cidade.

area externa szechenyi

O Szêchenyi fica próxima à Hösök tere, também conhecida como Praça dos Heróis, então é fácil conciliar a ida à casa de banho com uma visita à praça, de onde se sai a pé em direção aos banhos. Logo ao chegar nos dirigimos à bilheteria para comprar nosso ingresso. Os preços são variados, dependendo do horário de visita e se você vai querer opção de locker incluso, que foi a que pedimos (Daily ticket with locker usage), assim poderíamos guardar nossos pertences e aproveitar as piscinas sem se preocupar em carregar mochila junto conosco para lá e para cá. Se você tem o Budapest Card, ele é aceito para os bilhetes diários.

O Széchenyi Thermal Baths é um dos maiores complexos de spa da Europa e o mais visitado de Budapeste. É também o primeiro banho termal de Peste (um dos lados da cidade, o outro é Buda). Por iniciativa de Vilmos Zsigmondy, foram realizadas perfurações profundas no Parque da Cidade, onde mais tarde, em 1881 já estava em funcionamento um “banho artesiano”.

detalhes arquitetura szechenyiSzéchenyi foi construído em 1913, posteriormente ampliado em 1927 com um banho público para homens e mulheres e um local de praia. Em meados da década de 1960, ocorreram outras transformações, incluindo a criação de uma seção térmica de grupo. Apesar de todas as reformas, o lugar preserva a arquitetura de um charmoso palacete no maior parque da cidade, o City Park.

São muitas piscinas na parte interna e coberta com temperaturas variadas, todas indicadas na borda. Nesta parte, chama atenção a arquitetura do prédio e os detalhes nas paredes e em especial no teto (foto). Quase todas as piscinas têm duchas de hidromassagem e algumas permitem que os visitantes enquanto descansam, joguem xadrex. Nesta parte, normalmente estão as águas de temperaturas mais altas, sendo mais requisitada no inverno. Como não sou muito fã de água quente, preferi as piscinas externas.

A parte externa, por ser verão, estava lotada no melhor estilo parque aquático de país tropical. Fiquei bem surpreso. As duas grandes piscinas estavam com temperaturas em 30º e 37º, cada uma. E por incrível que pareça, mesmo no verão que faz um calor surreal, a com temperatura em 37º era mais disputada. Foi bom ficar por lá relaxando um pouco, mas confesso que achei meio que um “canjão”.

piscinas externas szechenyi

Quem não levar sua própria toalha ou roupão, pode alugar nos vestiários, pagando no local. As toalhas são limpas e foi o que fizemos porque não quisemos carregar toalhas nas nossas mochilas, afinal de lá iríamos ainda explorar mais partes da cidade. Acho que no inverno deve ser mais interessante visitar as casas de banho.

Aliás, não é apenas a Széchenyi que atrai turistas e locais de Budapeste. Um dos spas mais populares entre os turistas é o Gellért Thermal Bath localizado no Gellért Hotel, que data de 1918, sendo que as piscinas externas foram construídas anos depois, agregando tecnologia ao rico patrimônio histórico. Outros spas como o Lukács Thermal Bath, Rudas Thermal Bath e o Kiraly Bath também são bem procurados.